segunda-feira, 16 de maio de 2016

A sessão de 7 de maio (sábado) foi especial.
Aconteceu no dia do aniversário de Fialho de Almeida, uma conversa em torno do livro “O país das uvas”, na Vila de Cuba, numa colaboração com a Biblioteca Municipal da Cuba e a Associação Fialho de Almeida.
Nesse dia recriámos uma tradição da primavera na Cuba - a romaria à Quinta da Esperança, onde fomos muito bem recebidos pelos atuais donos e pela Banda Filarmónica de Cuba.

Após uma intervenção inicial da Presidente da Associação Fialho de Almeida e responsável pela Biblioteca Municipal de Cuba – Drª Francisca Bicho, decorreu a conversa em torno do livro de Fialho de Almeida, que foi complementada com intervenções de pessoas da Cuba que estavam presentes na sessão.

Para a sessão de Abril, no dia 3 de junho (sexta) o livro de leitura comum será:
·         “Contos de S. Petersburgo”, de Nikolai Gógol , 1809-1852

Pode encontrar outras sugestões de leitura do Clube de leitura da BMBEJA, no expositor no átrio da entrada da Biblioteca Municipal.

Aqui fica a nossa sugestão.

Boas leituras!

terça-feira, 3 de maio de 2016

Vimos convidá-las(os) para participar na sessão especial do Clube de leitura da nossa biblioteca.

No dia 7 de maio (sábado), dia do aniversário de Fialho de Almeida, vamos fazer a sessão do Clube de leitura da BMBEJA, cujo livro de leitura comum é “O país das uvas” de Fialho de Almeida, na Vila de Cuba, em colaboração com a Biblioteca Municipal da Cuba e a Associação Fialho de Almeida.
Iremos recriar uma tradição de Cuba que consiste numa romaria à Quinta da Esperança, na primavera.

PROGRAMA:
14h00 – Partida para Cuba - ponto de encontro em frente à Biblioteca Municipal de Beja.
14h30 – Chegada à Cuba - ponto de encontro no Largo do Tribunal de Cuba.
15h00 – Inicio da romaria a pé até à Quinta da Esperança, acompanhados pela Banda da Sociedade Filarmónica Cubense 1ª de Maio.
15h30 – Recepção dos donos da Quinta da Esperança. Exibição da Banda da Sociedade Filarmónica Cubense 1ª de Maio e do grupo Ceifeiros de Cuba.
16h30 – Visita guiada à Casa Museu Conde da Esperança.
17h00 – Sessão do CLUBE DE LEITURA DA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE BEJA no salão de visitas da Quinta da Esperança – inclui uma intervenção inicial da Presidente da Associação Fialho de Almeida e responsável pela Biblioteca Municipal de Cuba – Drª Francisca Bicho.
18h30 – Picnic nos jardins da Quinta da Esperança – a ideia é levar farnel e partilhar o que levarmos (se possível levem mantas de retalho e toalhas de picnic para podermos estender no chão)




segunda-feira, 11 de abril de 2016

CLUBE DE LEITURA – ABRIL

A conversa à volta do livro de leitura comum escolhido para a sessão de 8 de Abril “O Mendigo e outros contos”, de Fernando Pessoa, foi bastante polémica.
Uma pessoas tiveram dificuldade em reconhecer o estilo de contos nas narrativas lidas neste livro, assim como a escrita genial de Fernando Pessoa, enquanto outras encontraram em algumas partes dos textos, a transcendência do pensamento de Fernando Pessoa.

Para a sessão de Abril, no dia 7 de Maio (sábado) o livro de leitura comum será:
·         “O país da uvas”, de Fialho de Almeida

Pode encontrar outras sugestões de leitura do Clube de leitura da BMBEJA, no expositor no átrio da entrada da Biblioteca Municipal.

Aqui fica a nossa sugestão.

Boas leituras!

quarta-feira, 16 de março de 2016


A conversa à volta do livro de leitura comum escolhido para a sessão de 4 de março “Contos”, de Vergílio Ferreira, foi muito animada.
Foram também partilhadas as impressões sobre “Vergílio Ferreira: entre o silêncio e a palavra total”, congresso internacional comemorativo do centenário do nascimento de Vergílio Ferreira (1916-2016), que decorreu na Universidade de Évora entre o dia 29 de fevereiro e 2 de março.

Destacou-se entre todos os participantes o prazer na leitura da escrita de Vergílio Ferreira, um escritor em que a procura da compreensão ou interrogação sobre a natureza humana se materializa na utilização da palavra certa – a palavra total.

Para a sessão de Abril, no dia 8 de Abril (sexta feira-21h00) o livro de leitura comum será:
·         “O Mendigo e outros contos”, de Fernando Pessoa

Pode encontrar outras sugestões de leitura do Clube de leitura da BMBEJA, no expositor no átrio da entrada da Biblioteca Municipal.

Aqui fica a nossa sugestão.

Boas leituras!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016


A conversa em torno do livro “O homem do turbante verde, e outras histórias”, de Mário de Carvalho, foi muito animada, não só pelas características da obra contistica do autor, onde as referências do imaginário e linguagem da literatura clássica e a constante modernidade dos temas são um desafio para o leitor, como também pelas diferentes leituras que nos surpreendem sempre.

O livro comum escolhido para a próxima sessão (dia 4 de março) é: “Contos”, de Vergílio Ferreira.

Para a sessão de Abril, que proponho que em vez de ser no dia 1 de Abril, seja no dia 8 de Abril, o livro comum será: “Mendigos e outros contos”, de Fernando Pessoa

Na sequência da Conferência do Professor Roberto Perez, no passado dia 6 de fevereiro aqui na biblioteca, sobre "O Conde compositor da Quinta da Esperança, Cuba. Factos e mistérios", ficámos a conhecer o gerente da Quinta – Stevan Lekitsh, e como ele disse que tinham na quinta uma biblioteca com livros raros e outras preciosidades, ficou desde logo a ideia de irmos à Quinta fazer uma sessão do Clube de leitura.
Nesta sessão do Clube de leitura, que ficou agendada para o dia 7 de maio (sábado) – Dia do nascimento de Fialho de Almeida, sendo que o livro para essa sessão é “O pais das uvas”, contos de Fialho de Almeida, estamos a tentar organizar com a Biblioteca de Cuba /Profª Francisca Bicho, outras actividades para esse dia, tentando recriar uma tradição em Cuba, do Dia da Espiga (que é dia 5 de maio – Feriado Municipal em Beja) em que a banda da Cuba ia tocar na Quinta da Esperança e se fazia também um piquenique.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Continuamos a ler...

Na última sessão lemos a "A nova teoria do mal" de Miguel Real, edição D. Quixote. Foi mais um serão em que o tema deu para muita conversa pois as opiniões dividem-se. O escritor está zangado e não o esconde. Pior do que isso: está revoltado. Esta Nova Teoria do Mal é um ensaio filosófico:

"Este é um pequeno livro de Filosofia sobre a origem e as consequências do mal, que tenta explicar por que razão a acção de um homem com poder que humilha outro, retirando-lhe direitos, confere prazer interior a esse homem. A motivação do autor prende-se com o facto de, por exemplo, um ministro que corta do orçamento as verbas para transplantes estar indirectamente a contribuir para a morte de vários indivíduos, sem, no entanto, alguém poder dizer que esse ministro era um homem mau. Mas, na verdade, as consequências do seu acto têm o mesmo efeito de um assassínio. Livro polémico, que nos ajuda a perceber que o mal não é só aquilo que pensamos."


Uma espécie de actualização das teses de Hannah Arendt, a filósofa judia alemã que criou o conceito de "banalidade do mal", aquele princípio que tornou possível haver pessoas comuns a fazerem com que tudo funcionasse na perfeição de modo a que os comboios que levavam gente para os campos de concentração nazis andassem a horas. (in : http://www.tsf.pt/Programas)


Miguel Real é romancista, crítico literário e professor de Filosofia. 













Conheça alguns livros deste autor na sua Biblioteca:









Na próxima sessão iremos ler "As intermitências da morte" de José Saramago.













Aceite a nossa sugestão.
Partilhamos consigo o prazer da leitura!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Voltámos para partilhar mais leituras

Estamos de volta à nossa actividade à primeira quarta-feira de cada mês, pelas 21h30.

Retomámos as nossas partilhas com a leitura de "Barranco de cegos" de Alves Redol. 
Romance do Neorrealismo português escrito e publicado em 1962, Barranco de Cegos é contado em três livros: “Horas Plenas”, “Horas Amargas” e “Horas Absurdas”.


"Barranco de Cegos" acaba por ser a biografia de uma personagem real, mas fundamentalmente simbólica de um potentado ribatejano, cuja história Redol relata a partir de 1891, ano da revolta republicana no Porto. Aquilo que Redol mostra é, fundamentalmente, a luta interior e exterior de Diogo Relvas - que simboliza tanto a ideologia conservadora de uma classe dominante como a ideologia reaccionária de uma classe decadente - contra a ideologia revolucionária das classes ascendentes. Alves Redol dá-nos, dentro do romance português, o primeiro retrato magistral de um tal tipo de personagem."

 Segundo Redol “A arte deve contribuir para o desenvolvimento da consciência e para melhorar a ordem social.”

Agora vamos submeter as nossas leituras a um novo tema "O bem e o mal". Para dar início a este novo ciclo de leitura escolhemos "A nova teoria do mal" de Miguel Real.

"Hoje, sempre que vos apareça no ecrã da televisão um economista com funções governamentais - não duvideis: eis a face explícita do mal, aquele que levou a Europa à decadência e se prepara para, alegremente, destruir o planeta." - Miguel Real







Aceite a nossa sugestão.
Partilhamos consigo o prazer da leitura!